Skip to content

O meio ambiente: A preservação do planeta

19/08/2011

Este post foi desenvolvido da seguinte forma:

Uma reportagem premiada em 2007. Clique aqui! para ir ao site que foi retirada a reportagem.

artigo : BRA-20 Preservação do Planeta que aborda muito bem o assunto.

Um artigo desenvolvido por Juliana Oliveira Nascimento ( Acadêmica do 10º Período do UNICURITIBA – Centro Universitário Curitiba (Faculdade de Direito de Curitiba). Integrante do Grupo Jus Vitae – Pesquisa em Biodireito e Bioética )  e Maria da Gloria Colucci ( Orientadora do presente artigo. Mestre em Direito Público. Professora aposentada da Faculdade de Direito da UFPR e do UNICURITIBA – Centro Universitário Curitiba (Faculdade de Direito de Curitiba). Orientadora do Grupo Jus Vitae – Pesquisa em Biodireito e Bioética. Membro da Sociedade Brasileira) que aborda a ECO-92 e o protocolo de Kioto. Clique Aqui! para ir ao site que foi retirado o artigo.

Artigo: Meio Ambiente: A preservação e o desenvolvimento. O sonho sustentável com o cumprimento dos objetivos de desenvolvimento do milênio.

Um artigo com dicas para ações individuais que você pode praticar no seu dia a dia que ajudarão na preservação do planeta. Clique Aqui! para ir ao site que foi retirado o artigo.

3 Vídeos muito interessantes: 1- animação da animal planet muito legal apesar de estar em inglês dá para entender bem a mensagem. 2- um vídeo com imagem lindas que mostra o poderemos perder se não cuidarmos do planeta. 3- Publicidade de um programa da secretaria do meio ambiente do governo de São Paulo, criança ecológica que aborta de maneira simples o tema.

Bons Estudos!

1º Uma reportagem premiada em 2007. Clique aqui! para ir ao site que foi retirada a reportagem.

BRA-20: Preservação do Planeta

Nos últimos anos sentimos que algo muito rápido e devastador está acontecendo com o meio ambiente – nosso planeta. O clima está cada vez mais quente, conseqüência global do efeito estufa, do degelo das calotas polares, furações, ciclones, uma verdadeira transformação mundial.Temos que tomar atitudes individuais, para minimizar e conservar o nosso planeta

A fragmentação da Amazônia causada pelo desmatamento tem resultado na morte de árvores de forma rápida e surpreendente. Um estudo de 22 anos feito por brasileiros e americanos mostra que a maior floresta tropical do mundo pode perder 80% das espécies de árvores de áreas isoladas em apenas cem anos, e acabar com um destino tão trágico quanto o da destruída Mata Atlântica. O protocolo de Kioto é um acordo internacional que visa a redução da emissão dos poluentes que aumentam o efeito estufa no planeta. Entrou em vigor em 16 fevereiro de 2005. O principal objetivo é que ocorra a diminuição da temperatura global nos próximos anos. Infelizmente os Estados Unidos, país que mais emite poluentes no mundo, não aceitou o acordo, pois afirmou que ele prejudicaria o desenvolvimento industrial do país.

O cientista inglês, James Lovelock informa que o aquecimento global, já passou do ponto e só a energia nuclear pode adiar essa catástrofe mundial. “A situação se tornará insuportável, antes da metade do século, próximo do ano 2040. O aquecimento global foi provocado pelo homem, por isso, corremos o risco de ser extintos.”

Na opinião de Sandra Sinicco, diretora da ONG Ecopress, agência de notícias ambientais, além de projetos de governamentais, redução de emissões de gases poluentes de indústrias, todo e qualquer cidadão precisa criar a sua própria consciência ecológica e criar hábitos diários de conservação, ou seja, desenvolver e contribuir para um consumo sustentável. A existência de recursos naturais em nosso meio ambiente depende da atitude de cada ser humano, independente de sua classe social, raça, escolaridade. Medidas mais simples, podem ser adotadas no dia-a-dia e incentivar cada vez mais a preservação ambiental na sociedade, na qual vivemos e garantir a existência humana na Terra, afirma.

Segundo a Consultoria Maxambiental, cada cidadão brasileiro emite em média oito toneladas de CO2 por ano, em relação a energia elétrica consumida, lixo gerado e utilização de meios de locomoção. Para compensar o meio ambiente é necessário a plantação de 13 mudas de árvores. A emissão aumenta ainda mais, se o indivíduo obter carro e usar o avião, para a sua locomoção com uma certa freqüência. Portanto se cada pessoa conseguir plantar suas mudas de árvores em todo o mundo, cerca de 25% dos gases poluentes emitidos na atmosfera seriam compensados.

“Conscientização”

O documentário e o relatório Mudanças do Clima, Mudanças de Vidas, do Greenpeace, apresentam testemunhos de vítimas do aquecimento global na Amazônia, no Nordeste, no Sul e na zona litorânea brasileira. São pessoas que viram suas casas destruídas por causa de ventos ou inundações, perderam suas lavouras e seus animais por causa de secas fora do normal ou foram afetadas por catástrofes climáticas antes desconhecidas pelos brasileiros. O relatório e o documentário mostram ainda as relações entre a destruição da maior floresta tropical do mundo, a Amazônia, e o aquecimento global, e como o desmatamento e as queimadas fazem do Brasil o quarto maior emissor de gás carbônico do planeta.

“Responsabilidade social”

“O Brasil precisa assumir sua responsabilidade como grande emissor de gases de efeito estufa. O governo deve combater o desmatamento de maneira implacável, promover as energias limpas e os programas de economia de energia. Os brasileiros têm todo o direito de saber onde somos mais vulneráveis aos efeitos devastadores do aquecimento global e como vamos reduzir nossa contribuição a este problema. Não temos tempo a perder nesta luta pela nossa sobrevivência”, afirma Carlos Rittl, coordenador da campanha de clima do Greenpeace. O relatório e o documentário mostram também o que os governos, as indústrias e os cidadãos podem fazer, com mudanças nos padrões de produção e de consumo, para evitar que o cenário de mudanças climáticas, que já é grave, se torne irreversível e catastrófico para toda a vida do planeta nos próximos anos.

“Educar para preservar”

O Colégio Soter apresenta projeto pioneiro em educação ambiental, na responsabilidade sócio-ambiental, com o objetivo de conscientizar os novecentos alunos da instituição. O projeto foi desenvolvido pelo ambientalista, Alessandri Marcos Nascimento. Apresenta cerca de dois mil metros quadrados, onde os alunos terão contato com o meio ambiente. Há inúmeras estações de estudo da natureza, como viveiro de plantas, árvores frutíferas, horta hidropônica e orgânica, minhocário, fazendinha, eólico – catavento, que economiza energia, lago, os espaços nutricional, canadense, grego, lago, quiosque, entre outros, que irão ensinar como preservar a natureza e principalmente, fazer com que os nossos alunos, se tornem multiplicadores dos conhecimentos adquiridos junto da família, amigos e vizinhos tornando-se cidadãos com responsabilidade ambiental, para a geração dele e de seus descendentes, revertendo os estragos que nós mesmos, produzimos para o meio ambiente, enfatiza a diretora pedagógica, Ana Cristina Marttos Martinez Cardoso.

Cartão postal

“Sinais”
A imagem das Cataratas do Iguaçu com quedas minguadas ou completamente secas ainda está fresca na memória dos brasileiros. A diminuição no volume de água, que chegou a um décimo do normal em julho, foi provocada por uma das piores estiagens dos últimos anos no Paraná. No ano passado, a Amazônia, que detém 20% da água doce do planeta, se transformou em uma espécie de sertão, em uma das secas mais severas, que já assolaram a região. Ainda em 2005, um tornado devastou o município de Muitos Capões ,RS, no mesmo dia em que o furacão Katrina arrasou Nova Orleans, nos Estados Unidos. No final de março de 2004, o furacão Catarina, o primeiro registrado no Atlântico Sul, matou 11 pessoas e causou destruição em dezenas de municípios da região Sul. Apenas em Santa Catarina danificou mais de 32 mil casas, com prejuízos de mais de R$ 1 bilhão. Depoimentos dos pesquisadores Carlos Nobre (Inpe) e Francisco Aquino,UFRGS revelam que essas são evidências claras de que o mundo e várias regiões do Brasil são vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global.

Conheça as conseqüências do aquecimento global

- Aumento do nível dos oceanos: com o aumento da temperatura no mundo, está em curso o derretimento das calotas polares. Ao aumentar o nível da águas dos oceanos, podem ocorrer, futuramente, a submersão de muitas cidades litorâneas;
– Crescimento e surgimento de desertos: o aumento da temperatura provoca a morte de várias espécies animais e vegetais, desequilibrando vários ecossistemas. Somado ao desmatamento que vem ocorrendo, principalmente em florestas de países tropicais Brasil, países africanos. A tendência é aumentar cada vez mais as regiões desérticas em nosso planeta;
– Aumento de furacões, tufões e ciclones: o aumento da temperatura faz com que ocorra maior evaporação das águas dos oceanos, potencializando estes tipos de catástrofes climáticas;
– Ondas de calor – regiões de temperaturas amenas tem sofrido com as ondas de calor. No verão europeu, por exemplo, tem se verificado uma intensa onda de calor, provocando morte em idosos.

A extinção de várias espécies animais nos próximos cem anos

Dicas que colaboram com a preservação do nosso planeta

Não jogue o óleo de cozinha diretamente em pias de cozinha ou no lixo. Isso pode contaminar lençóis subterrâneos de águas e entupir o sistema de esgoto de uma residência. Entre em contato com ONGs que desenvolvam a coleta do material e o transforme em sabão e geração de renda para as classes mais pobres da sociedade;

Ao cozinhar um alimento, independente do que seja, utilize a tampa para abafar o calor. Com isso qualquer alimento é cozido mais rapidamente, e o CO2 (dióxido de carbono), principal gás do efeito estufa, emitido no meio ambiente por meio da queima do gás de cozinha, será em menor quantidade;

Separe o material reciclável em sua residência, lanchonetes, restaurantes entre latas, garrafas, papéis e etc. A prefeitura de São Paulo disponibiliza o telefone (11) 33282819, pelo qual você pode solicitar um agente para o recolhimento do material. Os lixos, atualmente jogados em aterros sanitários em cidades brasileira emitem o gás metano que é 23 vezes mais poluentes que o CO2. Portanto essa ação é indispensável para a diminuição dos gases emitidos na atmosfera.Mais informações no site www.prefeitura.sp.gov.br;

Para a limpeza de sua calçada, primeiramente varra todo o lixo e depois jogue a água. Você economizará água e tempo;

O pó de café, não precisa ser jogado no lixo ou na pia. Ao invés de ser descartado dessas duas maneiras, utilize a substância para adubo. Coloque em vasos para de plantas, assim como cascas de ovos, cascas de frutas;

Caso possa deixe o carro em casa e use o transporte urbano, ou pegue uma carona com um colega de trabalho que more perto de sua residência. Tal ação pode contribuir para melhorar o trânsito na sua cidade, e com certeza toneladas de CO2 deixarão agravar o efeito estufa;

Ao lavar as roupas, não descarte a água da máquina de lavar. Utilize-a para lavar o quintal, lavanderias;

Tome banhos menos demorados no máximo de 15 minutos. Com isso haverá economia de água e energia elétrica. Ao escovar os dentes, deixe a torneira fechada. Se toda a população brasileira, seguir essa dicas serão economizadas, o equivalente a nove minutos de água que caem das Cataratas do Iguaçu,PR.

“Pequenas atitudes podem evitar grandes catástrofes”

10 atitudes positivas para deixar você de bem com o planeta

1. Antes de sair de casa apague a luz, economize energia
2. Prefira produtos naturais aos industrializados sempre que possível
3.Valorize o trabalho de cooperativas agrícolas e artesanais
4. Feche a torneira ao lavar a louça
5. Prefira eletrodomésticos com selo Procel
6. Separe o lixo orgânico dos materiais que podem ser reciclados
7. Na obra, dê preferência aos materiais ecológicos
8. Reutilize a água da chuva e da máquina de lavar
9. Plante árvores
10. Deixe o carro em casa mais vezes durante a semana
LEMBRE-SE:
“PRESERVAR O PLANETA É PRESERVAR NOSSA PRÓPRIA ESPÉCIE”

2º Um artigo desenvolvido por Juliana Oliveira Nascimento ( Acadêmica do 10º Período do UNICURITIBA – Centro Universitário Curitiba (Faculdade de Direito de Curitiba). Integrante do Grupo Jus Vitae – Pesquisa em Biodireito e Bioética )  e Maria da Gloria Colucci ( Orientadora do presente artigo. Mestre em Direito Público. Professora aposentada da Faculdade de Direito da UFPR e do UNICURITIBA – Centro Universitário Curitiba (Faculdade de Direito de Curitiba). Orientadora do Grupo Jus Vitae – Pesquisa em Biodireito e Bioética. Membro da Sociedade Brasileira) que aborda a ECO-92 e o protocolo de Kioto. Clique Aqui! para ir ao site que foi retirado o artigo.

Meio Ambiente: a preservação e o desenvolvimento. O sonho do mundo sustentável com o cumprimento dos objetivos de desenvolvimento do milênio

por Juliana Oliveira Nascimento e Maria da Glória Colucci

Após diversos séculos de degradação ambiental, somados ao pensamento de que a natureza possuiria ‘recursos infinitos’, os recursos naturais foram utilizados desregradamente de forma irracional.

Dia após dia, a Humanidade observa as consequências da má utilização da natureza na fauna e na flora. E a água? A poluição de resíduos industriais e lixo, a contaminou. Alerta-se! O equilíbrio foi rompido, e abala a qualidade de vida de todo o mundo. Milhares de animais e plantas estão extintos, vidas que os pais, da passada e presente geração tiveram a oportunidade de ver, os filhos e netos somente poderão conhecê-las através de fotos reproduzidas nos livros, triste, não? É a esse ponto que as ações humanas chegaram…

A Terra grita por Vida… E quem está vivendo nela também…

O homem está sentindo e vivenciando os efeitos da excessiva poluição: o aquecimento global e as mudanças climáticas. Em decorrência disto, a sua qualidade de vida e do ecossistema encontram-se afetados, tanto do ponto de vista do meio ambiente natural, quanto do social (meio ambiente urbano).

A preocupação mundial com o meio ambiente corre atrás do ‘prejuízo’ para conservação das vidas…Tal assunto, sendo de suma importância, é respaldado pelo Direito, possuidor da responsabilidade de normatização ante a obrigação de acompanhar a evolução da sociedade para proteção do direito por excelência, o direito à vida. Com isto, veio a surgir um novo ramo autônomo, em meados da década de 60, o Direito Internacional do Meio Ambiente, que adveio em razão das preocupações ambientais que emergiram na época.

O Meio Ambiente tornou-se foco de negociações entre os países, e preocupação especial da ONU- Organização das Nações Unidas.

A primeira reunião de relevância sobre o assunto foi a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, realizada em Estocolmo no ano de 1972, um marco na conscientização ecológica mundial; um alerta aos países para a necessidade de cooperação internacional, principalmente, para a proteção “transfronteiriça do ar”[1], uma das maiores inquietações no campo da poluição do ar. Pois, cabe ressaltar, que pouco colaboraria a diminuição de emissões de gases efeito estufa (GEE) de um país, se os demais que fazem fronteira com este, continuassem a exercer uma poluição em massa, visto que, o ‘ar’ transpõe as fronteiras e, para ele não há barreiras, por isto a relevância da cooperação de todos. Nesta Conferência foram elencados vinte e seis princípios contendo direitos e obrigações, surgindo assim a Declaração para a Preservação do Meio Ambiente.

Mas foi na ECO 92, realizada no Brasil, que se consolidou, nos princípios da Declaração do Rio e da Agenda 21, a promoção do desenvolvimento sustentável, conhecido hodiernamente, o objetivo central deste século. Conforme o RelatórioBrundtland o desenvolvimento sustentável “é o desenvolvimento que atende às necessidades do presente, sem comprometer a capacidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades”[2]. Nesta Conferência foi firmada a Declaração de Princípios sobre Florestas e abertas para assinatura a Convenção sobre Diversidade Biológica e a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, pelo qual é documento acessório o notável Protocolo de Kyoto.

Contudo, mesmo diante de tantos documentos e Conferências Mundiais ressaltando este tema importantíssimo, a mente humana ainda necessita ser educada e conscientizada dos males da degradação do meio ambiente…São as visões ‘sobressalentes’ da ótica capitalista avessa à causa ambiental, principalmente no mundo dos negócios. É preciso acabar com a visão somente de lucro… Muitas empresas, infelizmente, apenas têm seu foco principal nos seus interesses econômicos, utilizando–se de tecnologias ultrapassadas, altamente poluidoras e de custo baixo. Não querem investir em tecnologia limpa, em razão do custo elevado em detrimento da tecnologia que possui. Para alguns custa muito caro ser ‘ecologicamente correto’, querem muito lucro e poucos gastos. Não obstante, em razão destes ‘pensamentos’, o planeta sofre, a humanidade padece, os animais se extinguem e as plantas morrem.

Cabe recordar que as diretrizes abordadas aqui estão diretamente ligadas ao ‘Sonho do Mundo Sustentável’ apresentado através das metas do Milênio propostas pela ONU-Organização das Nações Unidas. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foram adotados por diversos países do mundo, inclusive o Brasil, por intermédio da ratificação e comprometimento na Declaração do Milênio, que abrange uma diversidade de propostas de diminuição da desigualdade frente ao desenvolvimento mundial e à globalização. A questão ambiental em conexão com o desenvolvimento encontra-se inserido na concepção das seguintes metas: 7 ª – Qualidade de Vida e respeito ao Meio Ambiente e 8 ª – Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento.

Visando este Sonho, que deve ser observado como passível de realização e não uma utopia, a Humanidade tem papel essencial ante a responsabilidade de preservação ambiental, em consonância com o desenvolvimento baseado num planeta sustentável, que venha utilizar de forma racional e consciente dos recursos naturais para que as presentes e futuras gerações venham usufruir de um meio ambiente equilibrado.

Referências

CALSING.Renata de Assis. O Protocolo de Kyoto e o Direito ao Desenvolvimento Sustentável. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2005.

NASSER, Salem Hikmat.; REI, Fernando(organizadores). Direito Internacional do Meio Ambiente. São Paulo: Atlas, 2006.

OBJETIVOS de Desenvolvimento do Milênio. Disponível em: <http://www.odmbrasil.org.br/>. Acesso em: 24 maio 2009.

MILARÉ. Edis. Direito do Ambiente. 3.ed.São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2004.

Notas

[1] O ar ultrapassa fronteiras.CALSING.Renata de Assis. O Protocolo de Kyoto e o Direito ao Desenvolvimento Sustentável. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2005.p.35.

[2] MINIUCI. Geraldo. O Direito e a Cooperação Internacional em Matéria Ambiental: a estrutura de um diálogo. In: NASSER, Salem Hikmat.; REI, Fernando(organizadores).Direito Internacional do Meio Ambiente. São Paulo: Atlas, 2006. p. 35.

Revista Jus Vigilantibus, Terça-feira, 23 de junho de 2009

3º Um artigo com dicas para ações individuais que você pode praticar no seu dia a dia que ajudarão na preservação do planeta. Clique Aqui! para ir ao site que foi retirado o artigo.

DICAS PRÁTICAS PARA VOCÊ ECONOMIZAR ENERGIA E PROTEGER O PLANETA

1. TAMPE SUAS PANELAS ENQUANTO COZINHA. Parece obvio, não é? E é
mesmo! Ao tampar as panelas enquanto cozinha você aproveita o calor
que simplesmente se perderia no ar.

2. USE UMA GARRAFA TÉRMICA COM ÁGUA GELADA. Compre daquelas garrafas
térmicas de acampamento, de 2 ou 5 litros. Abasteça-a de água bem
gelada com uma bandeja de cubos de gelo pela manhã. Você terá água
gelada até a noite e evitará o abre-fecha da geladeira toda vez que
alguém quiser beber um copo dágua

3. APRENDA A COZINHAR EM PANELA DE PRESSÃO. Acredite… dá pra
cozinhar tudo em panela de pressão: Feijão, arroz, macarrão, carne,
peixe etc… Muito mais rápido e economizando 70% de gás.

4. COZINHE COM FOGO MÍNIMO. Se você não faltou às aulas de física no
2º grau você sabe: Não adianta, por mais que você aumente o fogo, sua
comida não vai cozinhar mais depressa, pois a água não ultrapassa
100ºC em uma panela comum. Com o fogo alto, você vai é queimar sua
comida.

5. ANTES DE COZINHAR, RETIRE DA GELADEIRA TODOS OS INGREDIENTES DE UMA
SÓ VEZ. Evite o abre-fecha da geladeira toda vez que seu cozido
precisar de uma cebola, uma cenoura, etc…

6. COMA MENOS CARNE VERMELHA. A criação de bovinos é um dos maiores
responsáveis pelo efeito estufa. Não é piada. Você já sentiu aquele
cheiro pavoroso quando você se aproximou de alguma fazenda/criação de
gado? Pois é: É metano, um gás inflamável, poluente, e mega fedorento.
Além disso, a produção de carne vermelha demanda uma quantidade enorme
de água. Para você ter uma idéia: Para produzir 1kg de carne vermelha
são necessários 200 litros de água potável. O mesmo quilo de frango só
consome 10 litros.

7. NÃO TROQUE O SEU CELULAR. Já foi tempo que celular era sinal de
status. Hoje em dia qualquer Zé mane tem. Trocar por um mais moderno
para tirar onda? Ninguém se importa. Fique com o antigo pelo menos
enquanto estiver funcionando perfeitamente ou em bom estado. Se o
problema é a bateria, considere o custo/benefício trocá-la e descartá-
la adequadamente, encaminhando-a a postos de coleta. Celulares
trouxeram muita comodidade à nossa vida, mas utilizam de derivados de
petróleo em suas peças e metais pesados em suas baterias. Além disso,
na maioria das vezes sua produção é feita utilizando mão de obra
barata em países em desenvolvimento. Utilize seus gadgets até o final
da vida útil deles, lembre-se de que eles certamente não foram nada
baratos.

8. COMPRE UM VENTILADOR DE TETO. Nem sempre faz calor suficiente pra
ser preciso ligar o ar condicionado. Na maioria das vezes um
ventilador de teto é o ideal para refrescar o ambiente gastando 90%
menos energia. Combinar o uso dos dois também é uma boa idéia. Regule
seu ar condicionado para o mínimo e ligue o ventilador de teto.

9. USE SOMENTE PILHAS E BATERIAS RECARREGÁVEIS. É certo que são caras,
mas ao uso em médio e longo prazo elas se pagam com muito lucro. Duram
anos e podem ser recarregadas em média 1000 vezes.

10. LIMPE OU TROQUE OS FILTROS O SEU AR CONDICIONADO. Um ar
condicionado sujo representa 158 quilos de gás carbônico a mais na
atmosfera por ano.

11. TROQUE SUAS LÂMPADAS INCANDESCENTES POR FLUORESCENTES. Lâmpadas
fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim,
você economizará 136 quilos de gás carbônico anualmente.

12. ESCOLHA ELETRODOMÉSTICOS DE BAIXO CONSUMO ENERGÉTICO. Procure por
aparelhos com o selo do Procel (no caso de nacionais) ou Energy Star
(no caso de importados).

13. NÃO DEIXE SEUS APARELHOS EM STANDBY. Simplesmente desligue ou tire
da tomada quando não estiver usando um eletrodoméstico. A função de
standby de um aparelho usa cerca de 15% a 40% da energia consumida
quando ele está em uso.

14. MUDE SUA GELADEIRA OU FREEZER DE LUGAR. Ao colocá-los próximos ao
fogão, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de
temperatura. Mantenha-os afastados pelos menos 15cm das paredes para
evitar o superaquecimento. Colocar roupas e tênis para secar atrás
deles então, nem pensar!

15. DESCONGELE GELADEIRAS E FREEZERS ANTIGOS A CADA 15 OU 20 DIAS. O
excesso de gelo reduz a circulação de ar frio no aparelho, fazendo que
gaste mais energia para compensar. Se for o caso, considere trocar de
aparelho. Os novos modelos consomem até metade da energia dos modelos
mais antigos, o que subsidia o valor do eletrodoméstico a médio/longo
prazo.

16. USE A MÁQUINA DE LAVAR ROUPAS/LOUÇA SÓ QUANDO ESTIVEREM CHEIAS.
Caso você realmente precise usá-las com metade da capacidade,
selecione os modos de menor consumo de água. Se você usa lava-louças,
não é necessário usar água quente para pratos e talheres pouco sujos.
Só o detergente já resolve.

17. RETIRE IMEDIATAMENTE AS ROUPAS DA MÁQUINA DE LAVAR QUANDO
ESTIVEREM LIMPAS. As roupas esquecidas na máquina de lavar ficam muito
amassadas, exigindo muito mais trabalho e tempo para passar e
consumindo assim muito mais energia elétrica.

18. TOME BANHO DE CHUVEIRO. E de preferência, rápido. Um banho de
banheira consome até quatro vezes mais energia e água que um chuveiro.

19. USE MENOS ÁGUA QUENTE. Aquecer água consome muita energia. Para
lavar a louça ou as roupas, prefira usar água morna ou fria.

20. PENDURE AO INVÉS DE USAR A SECADORA. Você pode economizar mais de
317 quilos de gás carbônico se pendurar as roupas durante metade do
ano ao invés de usar a secadora.

21. NUNCA É DEMAIS LEMBRAR: RECICLE NO TRABALHO E EM CASA. Se a sua
cidade ou bairro não tem coleta seletiva, leve o lixo até um posto de
coleta. Existem vários na rede Pão de Açúcar. Lembre-se de que o
material reciclável deve ser lavado (no caso de plásticos, vidros e
metais) e dobrado (papel).

22. FAÇA COMPOSTAGEM. Cerca de 3% do metano que ajuda a causar o
efeito estufa é gerado pelo lixo orgânico doméstico. Aprenda a fazer
compostagem: além de reduzir o problema, você terá um jardim saudável
e bonito.

23. REDUZA O USO DE EMBALAGENS. Embalagem menor é sinônimo de
desperdício de água, combustível e recursos naturais. Prefira
embalagens maiores, de preferência com refil. Evite ao máximo comprar
água em garrafinhas, leve sempre com você a sua própria.

24. COMPRE PAPEL RECICLADO. Produzir papel reciclado consome de 70 a
90% menos energia do que o papel comum, e poupa nossas florestas.

25. UTILIZE UMA SACOLA PARA AS COMPRAS. Sacolinhas plásticas
descartáveis são um dos grandes inimigos do meio-ambiente. Elas não
apenas liberam gás carbônico e metano na atmosfera, como também poluem
o solo e o mar. Quando for ao supermercado, leve uma sacola de feira
ou suas próprias sacolinhas plásticas.

26. PLANTE UMA ÁRVORE. Uma árvore absorve uma tonelada de gás
carbônico durante sua vida. Plante árvores no seu jardim ou inscreva-
se em programas como o SOS Mata Atlântica ou Iniciativa Verde.

27. COMPRE ALIMENTOS PRODUZIDOS NA SUA REGIÃO. Fazendo isso, além de
economizar combustível, você incentiva o crescimento da sua
comunidade, bairro ou cidade.

28. COMPRE ALIMENTOS FRESCOS AO INVÉS DE CONGELADOS. Comida congelada
além de mais cara, consome até 10 vezes mais energia para
ser produzida. É uma praticidade que nem sempre vale a pena.

29. COMPRE ORGÂNICOS. Por enquanto, alimentos orgânicos são um pouco
mais caros pois a demanda ainda é pequena no Brasil. Mas você sabia
que, além de não usar agrotóxicos, os orgânicos respeitam os ciclos de
vida de animais, insetos e ainda por cima absorvem mais gás carbônico
da atmosfera que a agricultura “tradicional”? Se toda a produção de
soja e milho dos EUA fosse orgânica, cerca de 240 bilhões de quilos de
gás carbônico seriam removidos da atmosfera. Portanto, incentive o
comércio de orgânicos para que os preços possam cair com o tempo.

30. ANDE MENOS DE CARRO. Use menos o carro e mais o transporte
coletivo (ônibus, metrô) ou o limpo (bicicleta ou a pé). Se você
deixar o carro em casa 2 vezes por semana, deixará de emitir 700
quilos de poluentes por ano.

31. NÃO DEIXE O BAGAGEIRO VAZIO EM CIMA DO CARRO. Qualquer peso extra
no carro causa aumento no consumo de combustível. Um bagageiro vazio
gasta 10% a mais de combustível, devido ao seu peso e aumento da
resistência do ar.

32. MANTENHA SEU CARRO REGULADO. Calibre os pneus a cada 15 dias e
faça uma revisão completa a cada seis meses, ou de acordo com a
recomendação do fabricante. Carros regulados poluem menos. A
manutenção correta de apenas 1% da frota de veículos mundial
representa meia tonelada de gás carbônico a menos na atmosfera.

33. LAVE O CARRO A SECO. Existem diversas opções de lavagem sem água,
algumas até mais baratas do que a lavagem tradicional, que desperdiça
centenas de litros a cada lavagem. Procure no seu posto de gasolina ou
no estacionamento do shopping.

34. QUANDO FOR TROCAR DE CARRO, ESCOLHA UM MODELO MENOS POLUENTE.
Apesar da dúvida sobre o álcool ser menos poluente que a gasolina ou
não, existem indícios de que parte do gás carbônico emitido pela sua
queima é reabsorvida pela própria cana de açúcar plantada. Carros
menores e de motor 1.0 poluem menos. Em cidades como São Paulo, onde
no horário de pico anda-se a 10km/h, não faz muito sentido ter carros
grandes e potentes para ficar parados nos congestionamentos.

35. USE O TELEFONE OU A INTERNET. A quantas reuniões de 15 minutos
você já compareceu esse ano, para as quais teve que dirigir por quase
uma hora para ir e outra para voltar? Usar o telefone ou skype pode
poupar você de stress, além de economizar um bom dinheiro e poupar a
atmosfera.

36. VOE MENOS, REÚNA-SE POR VIDEOCONFERÊNCIA. Reuniões por
videoconferência são tão efetivas quanto as presenciais. E deixar de
pegar um avião faz uma diferença significativa para a atmosfera.

37. ECONOMIZE CDS E DVDS. CDs e DVDs sem dúvida são mídias eficientes
e baratas, mas você sabia que um CD leva cerca de 450 anos para se
decompor e que, ao ser incinerado, ele volta como chuva ácida (como a
maioria dos plásticos)? Utilize mídias regraváveis, como CD-RWs,
drives USB ou mesmo e-mail ou FTP para carregar ou partilhar seus
arquivos. Hoje em dia, são poucos arquivos que não podem ser
disponibilizados virtualmente ao invés de em mídias físicas.

38. PROTEJA AS FLORESTAS. Por anos os ambientalistas foram vistos como
“eco-chatos”. Mas em tempos de aquecimento global, as árvores precisam
de mais defensores do que nunca. O papel delas no aquecimento global é
crítico, pois mantém a quantidade de gás carbônico controlada na
atmosfera.

39. CONSIDERE O IMPACTO DE SEUS INVESTIMENTOS. O dinheiro que você
investe não rende juros sozinho. Isso só acontece quando ele é
investido em empresas ou países que dão lucro. Na onda da
sustentabilidade, vários bancos estão considerando o impacto ambiental
das empresas em que investem o dinheiro dos seus clientes. Informe-se
com o seu gerente antes de escolher o melhor investimento para você e
o meio ambiente.

40. INFORME-SE SOBRE A POLÍTICA AMBIENTAL DAS EMPRESAS QUE VOCÊ
CONTRATA. Seja o banco onde você investe ou o fabricante do shampoo
que utiliza, todas as empresas deveriam ter políticas ambientais
claras para seus consumidores. Ainda que a prática esteja se
popularizando, muitas empresas ainda pensam mais nos lucros e na
imagem institucional do que em ações concretas. Por isso, não olhe
apenas para as ações que a empresa promove, mas também a sua margem de
lucro alardeada todos os anos. Será mesmo que eles estão colaborando
tanto assim?

41. DESLIGUE O COMPUTADOR. Muita gente tem o péssimo hábito de deixar
o computador de casa ou da empresa ligado ininterruptamente, às vezes
fazendo downloads, às vezes simplesmente por comodidade. Desligue o
computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o
monitor por até quinze minutos.

42. CONSIDERE TROCAR SEU MONITOR. O maior responsável pelo consumo de
energia de um computador é o monitor. Monitores de LCD são mais
econômicos, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais
baratos. O que fazer com o antigo? Doe a instituições como o Comitê
para a Democratização da Informática.

43. NO ESCRITÓRIO, DESLIGUE O AR CONDICIONADO UMA HORA ANTES DO FINAL
DO EXPEDIENTE. Num período de 8 horas, isso equivale a 12,5% de
economia diária, o que equivale a quase um mês de economia no final do
ano. Além disso, no final do expediente a temperatura começa a ser
mais amena.

44. NÃO PERMITA QUE AS CRIANÇAS BRINQUEM COM ÁGUA.
Banho de mangueira, guerrinha de balões de água e toda sorte de
brincadeiras com água são sem dúvida divertidas, mas passam a
equivocada idéia de que a água é um recurso infinito, justamente para
aqueles que mais precisam de orientação, as crianças. Não deixe que
seus filhos brinquem com água, ensine a eles o valor desse bem tão
precioso.

45. NO HOTEL, ECONOMIZE TOALHAS E LENÇOIS. Use o bom senso… Você
realmente precisa de uma toalha nova todo dia? Você é tão imundo
assim? Em hotéis, o hóspede tem a opção de não ter as toalhas trocadas
diariamente, para economizar água e energia. Trocar uma vez a cada 3
dias já está de bom tamanho. O mesmo vale para os lençois, a não ser
que você mije na cama…

46. PARTICIPE DE AÇÕES VIRTUAIS. A Internet é uma arma poderosa na
conscientização e mobilização das pessoas. Um exemplo é o site
ClickÁrvore, que planta árvores com a ajuda dos internautas. Informe-
se e aja!

47. INSTALE UMA VÁLVULA NA SUA DESCARGA. Instale uma válvula para
regular a quantidade de água liberada no seu vaso sanitário: mais
quantidade para o número 2, menos para o número 1!

48. NÃO PEÇA COMIDA PARA VIAGEM. Se você já foi até o restaurante ou à
lanchonete, que tal sentar um pouco e curtir sua comida ao invés de
pedir para viagem? Assim você economiza as embalagens de plástico e
isopor utilizadas.

49. REGUE AS PLANTAS À NOITE Ao regar as plantas à noite ou de
manhãzinha, você impede que a água se perca na evaporação, e também
evita choques térmicos que podem agredir suas plantas.

50. FREQUENTE RESTAURANTES NATURAIS/ORGÂNICOS, Com o aumento da
consciência para a preservação ambiental, uma gama enorme de
restaurantes naturais, orgânicos e vegetarianos está se espalhando
pelas cidades. Ainda que você não seja vegetariano, experimente os
novos sabores que essa onda verde está trazendo e assim estará
incentivando o mercado de produtos orgânicos, livres de agrotóxicos e
menos agressivos ao meio-ambiente.

51. VÁ DE ESCADA. Para subir até dois andares ou descer três, que tal
ir de escada? Além de fazer exercício, você economiza energia elétrica
dos elevadores.

DIVULGUE ! O MEIO AMBIENTE AGRADECE !
ORGANIZAÇÃO DE RENOVAÇÃO AMBIENTAL

4º 3 Vídeos muito interessantes: 1- animação da animal planet muito legal apesar de estar em inglês dá para entender bem a mensagem. 2- um vídeo com imagem lindas que mostra o poderemos perder se não cuidarmos do planeta. 3- Publicidade de um programa da secretaria do meio ambiente do governo de São Paulo, criança ecológica que aborta de maneira simples o tema.

1- animação da animal planet muito legal apesar de estar em inglês dá para entender bem a mensagem

2- um vídeo com imagem lindas que mostra o poderemos perder se não cuidarmos do planeta

3- Publicidade de um programa da secretaria do meio ambiente do governo de São Paulo, criança ecológica que aborta de maneira simples o tema.

About these ads

From → Atualidades

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.748 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: